Notícias

07/10/2016 14:48


Otávio Reichert - INTEGRANDO 08/10/2016

Animais: Antes que me julguem, afirmo gostar de animais, também nas poesias, mencionando o Urso Preto, personagem do primeiro livro. Crianças adoram animais, principalmente cães. Meu guarda-costas é o Lobinho, agora reforçado pela jovem Loba. Coincidência, mas já estava “batizada” pelo amigo Davi Tejkoski, que a doou por ter quatro cães.  Onde quero chegar? Embora com pátio grande, considero ideal dois cães. No início o Lobinho estava em festa, abobado, com a chegada da Loba. Quantos há na sua casa?
Parte da letra da canção do Expedicionário diz: “... Da choupana onde um é pouco, dois é bom, três é demais!” .... que pode também ser válido neste caso. Aos que tem somente um animal, seja cão, gato, periquito, etc., irão alegar que eles são a companhia (vice-versa).
Visitando familiar na capital gaúcha, que reside em “Minha casa minha vida”, quase não comporta duas cachorras, mas vai lá. Pois ao lado tem uma dúzia. Até que deu silêncio nas altas horas, mas das 5h em diante, residindo num passador de gente indo ao serviço, as duas, mais os 12 ao lado, fizeram chimarrear mais cedo.
Disse o cunhado que falou com a vizinha, sem sucesso, que alegou apego a todos. Como dá banho e limpa (após o serviço) o pátio, não há como forçar a doação. Porém, o cheiro de urina e fezes exalava longe. Quem convive acaba se acostumando e pouco percebe os odores.
Outro exemplo: um frentista de Posto de combustível se acostuma ao cheiro petrolífero.

Alerta: Um repórter fez um teste com crianças brincando na praça: vendo a mãe sentada ali próxima, se achegava a ela pedindo permissão para tentar convencer seu filho, mesmo ele sendo um estranho, a sair com ele da praça. Todas consentiram, mas duvidaram que tivesse êxito, menos uma delas que, vendo o cachorrinho junto a ele, previu a tática do jornalista.
Para incredulidade das mães, em questão de até menos de minuto cada uma das cinco crianças saiu de mãos dadas com aquele estranho. Usando uma cachorra dócil (vídeo), apresentava-a e dizia que os filhotes dela estavam ali perto, e iria mostrar... Orientemos nossos filhos.

Identidade: A maneira de se vestir, a roupa, gestos, detalhes físicos, somam para revelar uma identidade. E aí o vivente pode ser fichado com muitos adjetivos.
O Emanuel (6 anos) já foi gremista, tornou-se colorado seguindo um primo, e neste ano aderiu ao Palmeiras. Pois bem: durante passeio de carro, vestia ele uma camiseta tricolor quando paramos numa sinaleira. Um motorista de ônibus parou ao lado e buzinou, fazendo gestos de positivo (dedão) ao Emanuel. Sendo palmeirense, disse no ato: - Pai, abre a janela, eu quero dizer a ele que não sou gremista, só estou usando a camisa...
Uma faixa, na traseira de um Gol, dizia: “Desculpa a poeira”. O correto seria “Desculpe...) Identidade: homem do campo

Lesmas: Deram pequena folga no pequeno estio sem chuva. Sabendo que em tempos chuvosos a infestação de lesmas é maior, um dos métodos naturais, e econômico, é o de ensopar estopa (pano) com leite, que é ótimo chamarisco às lesmas, a ponto delas permanecerem sugando mesmo de dia. Aí é só dar destino a elas.

Prenda Jovem: No dia 15 de outubro acontecerá o VI Baile da Prenda Jovem no GDF Os Farroupilhas, animado pelo conjunto Os Ginetes, de Santa Maria. Nove prendas estarão desfilando a primavera. São elas: Eduarda Stochero, Isabela Viana de Godoy, Júlia Castanho de Freitas, Júlia Sandri Peyrot, Kaliany Meotti, Louise de Moraes Michels, Vitória Jeck, Isadora Garcia da Silva e Eduarda Ceretta.
Com decoração de Cleonice Reis, fotos e filmagem de Fine Art, diz o convite às prendas:
Estrelas nascem no céu. As flores nascem na terra.
Na estação da primavera florescem ainda mais.
O convite é, junto aos pais, destacar suas conquistas...
Seus encantos, seus ideais, estampados em revistas.

No GDF Os Farroupilhas serás a flor mais graciosa.
E esta noite jubilosa terá encanto e magia.
A valsa será poesia. Dançarás xote e vaneira.
A ternura deste dia marcará tua vida inteira.
Otavio Reichert

Humor: Num falso aviso deram Lula como morto, e a cúpula do PT entrou em debate:
- Temos que enterrá-lo em Brasília, afinal o homem foi presidente...
Um bebum largou no ato: - Só não pode em Jerusalém!
Outro petista: - Tem que ser em São Bernardo, berço político do finado...
- Lá pode, só não pode em Jerusalém!
- Melhor enterrá-lo em Caetés-PE, onde nasceu.
- Lá pode, só não pode em Jerusalém!
Um petista se irritou: - Porque não em Jerusalém, seu bêbado?
- Lá ele pode ressuscitar!

Chasque: Para a santo-angelense Gessi dos S. Wurdig, agora residindo em Rio Verde-GO, e que nos brindou com sua visita.
Colunas anteriores, informações e contatos de Otávio Reichert.

EM DESTAQUE

Jada hotel

Fuscar Multimarcas Peças e Serviços

Roteiro por Mato Queimado

Diálogo, educação e segurança,  motivos para entrar, conhecer, passear e fotografar, essa comunidade é uma verdadeira família.

Saiba mais

Mais notícias

  • Aguarde, buscando...