Notícias

14/06/2018 12:35


OS APELIDOS, por João Antunes

OS APELIDOS, por João Antunes.
Bossoroca, conhecida como Buena Terra Mssioneira, é um município que tem 6.873 habitantes, 1.610,573 km2, 228 metros acima do nível do mar e dentre as tantas particularidades sabemos que cerca de 17% da nossa população municipal tem apelido, pois isto faz parte da nossa cultura local.
As razões para os apelidos são tantas. Há apelidos exóticos, estrambóticos, laureados, cômicos, outros ligados a nomes de animais, outros ainda escolhidos carinhosamente, etc. 
Muitos a vida inteira foram conhecidos e identificados no âmbito geral apenas pelo apelido.
Nas conversas diárias é normal alguém dizer: Vou chamar o Besta para fazer um conserto elétrico. Vou tomar uma cerveja no Tio Bila. Tenho de levar o meu carro lá no Jorge Bala. O Cavica é filho do seu Jango Chaves. O Kubicheque trabalha na Fermaco e também é chamado de Roxo. O Zoinho é irmão do Cambão. Dona Vica, a mãe do Carlinhos. Será que tem vaga na lavagem do Perninha?  O Soda já foi prefeito, etc.
Em nosso país muitas pessoas de notórios destaques são conhecidas pelos seus apelidos, por exemplo, o ex-presidente José Sarney que é José Ribamar Ferreira de Araújo Costa. O jogador de futebol Zico que é Artur Antunes Coimbra. O empresário e comunicador Silvio Santos que é Senor Abravanel. 
Eis aqui 800 (oitocentos) apelidos, fruto das minhas pesquisas e a colaboração do estimado amigo José Nairo Pinto dos Santos (recentemente falecido) e contribuição da amiga e conterrânea Fátima Maria Nascimento Couras, sendo estes os apelidos mais conhecidos em Bossoroca: Adão Cascão, Albinão, Alemão da Corsan, Alemão Peru, Amansa-Burro, Angelino Batata, Ari Barbeiro, Bacamarte, Baixinho, Baixinho da Relojoaria, Bangue, Banzé, Bastião, Bato, Badico, Baiano, Baldo, Balói, Bandulin, Bastião, Batata, Batatinha, Baxo, Beiço, Beiçola, Beiçudo, Béio, Bejo (famoso fazer de poço de balde), Bentinho, Berada, Beri, Berizão, Besta, Bia, Bichinho, Bicudo, Bidodo, Bidu, Biel, Bigode, Bijica, Bileco, Bilo, Bino,  Binoca, Bioto, Birica, Birinha, Biriva, Biruta, Biso, Bita, Bitatão, Biteco, Bixiga, Bixo, Boca de Véia, Bola, Bolão, Bolinha, Brombe, Bonitinho, Bordogue, Borrego, Boteguinha, Branca, Brija, Bosserão, Brizola, Bucha, Buchudo, Bugre, Buja, Bujera, Bica Feio, Bigode, Bilica, Bito, Boitatá, Bolinha, Brizola, Bugio, Cabeçinha, Cabeça de Ovelha, Cabrito, Cacetada, Calistro, Candieiro, Canelinha, Canhoto, Canjica, Capincho, Cascudo, Caticão, Catinga de Mulata, Cegonha, Ceí, Celso da Picada, Chaolim, Cheirosa, Churuta, Coca, Corincho, Cordeiro, Curucaca, Custeleta, Cabeça Chata, Cabeça de Mula, Cabeça de Prata, Cabeçudo, Caboclo, Caboclinho, Cachorrinho, Cadado, Cadeco, Cadorna, Cafuncho, Caio, Calaca, Cambão, Cambota, Camoatim, Camundongo, Canafístula, Canário, Candinho, Candoca, Canjica, Caniço, Capa-Toro, Capeta, Carancho, Caranguejo, Carijó, Carlinda, Carlito, Caroçinho, Caroço, Carula, Cascudo, Casquinha, Castelhano, Castelo, Caticão, Caturrita, Catuta, Cavaco, Cavica,  Cebolinha, Cegonha, Celso da Picada, Chaira, Chandico, Charuto, Chata, Chato, Cherosa, Chibo, Chica, Chiclé, Chico, Chico da Grama, Chico da Praça, Chicão, Chico Lingüiça, Chininha, Chipa,  Chiripa, Chiru Fél, Chanda, Choio, Chocolate, Choto, Chuca, Chula, Chumbiado, Chumigão, Chupetão, Chupim, Churuta, Cica, Ciganão, Cissi, Cita, Clarinha, Cobrão, Coca, Comuna, Candinho, Contra-Deus, Corinha, Cornicha, Corongo, Corruira, Corvo, Cosinho, Costeleta, Coto, Couraça, Cubricha, Cuca, Curicaca, Curura, Cururu, Curuta, Daga Feia, Danda,  Dango, Dega, Deguinha, Diabo, Dida, Didi, Missioneiro, Diagonal, Diégua, Doca, Dona Bita, Dona Pequena, Dona Miúda, Dona Pequena, Donana, Dorácio, Dorival Cachorro, Déco (Brasileiro Rodrigues Dutra, pecuarista, figura popular e folclórica local, excelente declamador), Dedeco, Deixa que eu Chuto, Delva, De Prancha, Dilo, Dinho, Dirico, Doca, Docinho, Dodo, Dona Chanda, Dona Cida (Ecilda dos Santos, que foi parteira e inclusive foi a parteira quando eu nasci), Dona Linda, Doninho, Dorço, Dova, Dudinha, Escuita, Estopim, Éto, Exator, Fado, Filipinho Papudo, Foravaca, Fredão, Fala Fina, Faninho, Fala Mansa, Farelo, Fata, Feio, Ferro, Fico, Fifi, Fifico, Fincão, Fom-Fom, Fininho, Fio, Formiga, Forquilha, Frainha, Fritz, Fruita, Fuá, Fuça, Funcho, Fumo, Fuscão, Gago, Gaiasa, Galo, Gâmba, Ganizé, Ganso, Garçon (Selmar Moreira dos Santos, comerciante), Gavião, Geléia, Gili, Gilo, Gino,  Gonha, Gonza, Gordo, Gorgeta, Grainha, Gralha, Grilo, Guaiaca (Dorival Caetano Rodrigues, gaúcho campeiro, domador, dominada as lides campeiras desde o parto à carneação), Guaiquica, Guarapa, Guavirova, Gucha, Guego, Guegué, Guenzo, Guima, Guriazinha, Guto, Ganso, Gavia, Gisa, Gonça, Gonha, Gorjeta, Guaiaca, Guaju, Guezinho, Guida, Gurizinho, Horácia, Hipo, Índio, Irmão, Irmão Passarinho, Jacaré, Jairzão, Jandirão, Jango, Jango Surdo, Javali, Jefão, João Bolinha, João Bota, João Cangalha, João Crioulo, João Cuiudo, João das Pedras, João do Buja, João do Censo,  João do Jarbas, João do Taco, João dos Burros, João Furquia, João Gago (João Pedro Nunes da Silva, que era analfabeto, mas excelente comerciante), João Guri, João Louco, João Maromba, João Paca, João Padeiro, João Piru, João Pouca Tripa, Jóia, Jorge Bala, Jornada, Juca, Juca Tigre, Jubão (Juvenil Antunes de Jesus, que foi dono de uma oficina eletrônica e locador do Cine Zanotto em Bossoroca), Jujica, Juruna, Juvena, Justinão, João das Cobras, João da Luz, João das Pedras, João do Censo, João do Taco, João Fura Bucho, João Louco, Janjão, Janjoca, Jiló, Joelão, José Mandioca, Kaco, Kadu, Kido, Kika, Kubicheque, Laco, Ladiado, Lalá, Lampião, Lambe Pá, Lelé, Lebrão, Lelinho, Ligeirinho, Lilica, Lola, Loló,  Lom, Lombo Azul, Lulu, Lurica, Lado Feio, Landa, Landico, Laranjeira, Lavareda, Lau Serigote, Lazão, Lepe, Leonço, Lício, Lico, Ligeirinho, Lixiguana, Lola,  Lora, Loro, Louco Véio, Lula, Lurdona, Macaco, Maçarico, Machão, Macuco, Magrão,  Major, Manduca, Maneco, Maneia, Maninho, Mano Cortes, Manso,  Maranhão, Marcão, Maria dos Acolchoados, Marica, Maricota, Marimbondo, Marinho, Mario Caniço, Marreca, Masca Fumo, Mata Burro,  Meco, Meia Boca, Mel, Melão, Melena, Mica, Micuin, Miguel Dente, Milica, Milita, Miloca, Mimosa, Minda, Mita, Miti, Mocho, Morena, Móza, Mozinha, Mula, Mulato, Mulitão, Mutuca, Mussiso, Mandu, Manso, Mantina, Maranhão, Maria do Mudo,  Marreco, Maromba, Meia Foda, Miguel Daga Feia, Miques, Miquinho, Militão, Muda, Mulinha, Mulita, Munaia, Mussisso, Naldo, Naná, Nanago (Romalino Brandão, músico e pessoa popular do Rincão dos Brandão em Bossoroca), Nanico, Nato, Nê, Neca, Neco, Nêga da Chica, Nêgo   Diabo, Nêgo Ico, Nêgo Santo, Negra, Negra das Unhas, Negrinho das Pedras, Nei Cabeça, Néia, Nena, Neneca, Nenê, Nenéio, Neno, Neri Pedrada, Neti, Neuzito, Nezinho, Nico, Nininho, Noca, Nó do Céu, Norinha, Noronha, Novinho, Nuche, Napo, Nenê Azedo, Nenê Fuá, Nenéio, Neno, Netão, Neto, Neto Papudo, Nezinho, Nica, Nó, Novinho, Novo, Onça, Padre, Paciência, Paco, Palhaçinho, Pança, Panta, Pajé, Papa-Figo, Paraguaio, Parente, Parramera, Patinho, Pastelão, Pati, Patrício, Paulista, Paulo do Gás, Paulo Galinha, Pé Chato, Pé de Cabra, Pé de Uriço, Pedro Tosseira, Pé de Galo, Pé na Cova, Pedrão, Pedro Moita,  Pedro Gralha, Pedro Viria, Pelé, Pilincho, Peninha, Pepê, Pepo, Peraque, Peri, Periquito, Periá, Perna de Pau, Perninha, Pernudo, Persi, Pexereca, Piaga, Pico, Pifânio, Pilica, Pinhé, Pinto Calçudo, Pipiolo, Pirica, Piruquinha, Piruzinho, Pissorto, Pitanga, Pitéio, Piti, Pitico, Polaca, Polaco, Policiano, Pôncio, Porto Alegre, Poto, Punia, Pança, Papa-Figo, Peixe, Pichicho, Picucha, Pinhé, Piquicho, Piriquito, Pé de Ouriço, Pneu Murcho, Pitoco, Poca, Punilha, Polda, Polaca, Pongó, Pontaria, Porca, Pororó, Póto, Potrilho, Pitoco, Preguiça, Quati, Queco, Queza, Quida, Quide, Quietinho, Quinho, Quito, Quati, Rabiça, Rabo Mol, Ranhento, Rasga-Diabo, Ratão, Rato Branco, Rebardaria, Rabo Grosso, Repi, Refugo, Roda Baixa, Regular, Rico,  Riva, Robertão, Rodinha, Ronda, Roxo, Rubão, Rubinho, Sabiá, Salame, Sanção, Santiaguinho, Santinha, Santurião, Sapinho, Sapuca, Sapuquinha, Sariapa, Sarinha, Sassá, Seca, Secão, Sei, Semo, Sêra, Serelepe, Sete, Seu Boneco, Seu Tuca, Sila, Siva, Silico, Siliquinho, Sina Triste, Socadinho, Soda, Soneca, Sorriso, Sorro, Suco, Sukinho, Soro, Suruco, Sabiá, Sorriso, Soró, Sujinha, Sílica, Sulica, Surdo, Taca, Taninho, Taquarinha, Tarugo (Alfredo Duarte Cardinal, agropecuarista e valoroso membro da Confraria do Icamaquã), Tácio, Tailândia, Tata, Tati, Tato, Tatu, Téca, Teco, Teta, Tiaraju (João Luiz Bandeira da Silva, escritor, poeta, compositor bossoroquense), Telinha, Tibica, Tica, Tico-Tico, Tiba, Tide, Tidincha, Tietê, Tiju, Tilica, Timbaúva, Tino, Tio Aldo, Tio Bila, Tio Brites, Tio Nal, Tio Plá, Tio Sapo, Tiita, Tiquifuque, Tita, Titica, Tito, Tivinha, Toledo, Tonelada, Tonho, Tonhão, Toto Bola, Totonho, Tourão, Touro Velho, Tripa Seca, Tripé, Tucha, Tuia, Tunico, Tututa, Tuva, Tarico, Teço, Teta, Teté, Tidincho, Tio Lau, Tio Toco, Tio Tonho, Toca, Toninho, Tóta, Tina, Tim-Tim, Titi, Tivinha, Trabuco, Tuco, Tutula, Uruta, Urutinha, Vandeco, Vando,  Vaninho, Véia, Véio das Cucas, Vela, Vera Batata, Vica, Vico, Vitão, Vitinho, Xampu, Xicrinha, Xicuta (Pedro Raimundo Dutra do Amaral que proprietário do antigo Salão do Xicuta em Bossoroca), Xixinho, Zaga, Zé da Carula, Zé Gaspar, Zé do Mato, Zefredo, Zete, Zezéia, Zezinho Cara de Bicho, Zico, Zifa, Zóio, Zoinho, Zonta, Zoreia, Zóza.
Na verdade, por trás do apelido, há um ser humano, um conterrâneo e uma história de vida digna do nosso profundo respeito e consideração. 
Apelidos são formas carinhosas e simplificadas que as pessoas  usam para identificar alguém e em muitos casos os apelidos eternizam as pessoas.
O que não vale e não é correto é o ser humano ser uma forma de chacota ou sofrer bullyng quando ele não gosta do apelido.

 

Site: João Antunes poeta, historiador e compositor 
Facebook = João Carlos Oliveira Antunes
Bossoroca (55) 9999-42970 joaoantunes10@terra.com.br 
Site: Oratório dos Guerreiros Missioneiros 
Vídeo: Batalha de 7 e 10 de Fev Morte de Sepé 

Site: Inácio de Loyola - Primeiro Jesuíta
Site: Origem da Cruz Missioneira
Site: Reduções Jesuítitas – RESUMO - 1º E 2º Período
Site: Morte dos Caciques Sepé Tiaraju, Nicolau Ñanguirú e 1511 indios
Site: Gravataí a mais longínqua Redução; 

Site: Pedra Itacuru, Pedra Cupim ou Pedra Missioneira

EM DESTAQUE

Jada hotel

Mekal Casa Limpa Santo Ângelo

Para os cuidados com a higiene e limpeza Mekal Casa Limpa.

Saiba mais

XXIII Jornada Internacional de Direito

Mais notícias

  • Aguarde, buscando...