Notícias

13/04/2019 12:40


Cooperação e Cooperativismo, por João Antunes.

     Juntamente com o amor fraterno, a cooperação e o cooperativismo são formas sagradas e consagradas, elos, pontes, ligações para, na ação conjunta, se alcançar pelo melhor caminho e viés um objetivo comum. 
     Às vezes, fico pensando quão grande foi o afã, o sacrifício, para o homem fazer grandes obras, por exemplo, a Pirâmide de Quéops ou Grande Pirâmide de Gisé no Egito, onde durante aproximadamente 20 anos mais de 30.000 egípcios trabalharam incansavelmente 2.550 anos  a.C. empilhando mais de 2.300.000 blocos de pedras inclusive os mais pesados com cerca de 70.000 kg. 
     Vejamos também as Muralhas da China que se estenderam por 8.850 km de distância, serpenteando montanhas, onde estima-se que mais de 2.000.000 de pessoas tenham se dedicado nessa obra  por quase 2.000 anos onde milhares de pessoas morreram devido a má alimentação e frio. Eu acredito que nestas e tantas outras obras para o seu bom andamento foi preciso além de muito trabalho, acentuadas parcerias, cooperação e fraternidade.
     A missão de Cristo e dos apóstolos foi também um trabalho de cooperação à humanidade para os que desejam alcancem o “caminho, a verdade e a vida”. As aventuras pelo deserto, as navegações de antigamente e até mesmo as conquistas sangrentas, em todos estes casos, foi preciso que houvesse cooperação entre as pessoas. As árduas missões através dos Jesuítas nestes 30 povos missioneiros. O trabalho dos benzedores, dos curandeiros, dos pajés, a cooperação que os negros deram para este país, as vivandeiras nas guerras, o trabalho e o belo exemplo dos imigrantes no Brasil, etc., em tudo isto houveram marcas profundas de cooperação dentre tantos outros exemplos e fatos  historicamente marcantes. Pensemos também nos milhares de pessoas nos voluntariados mundo afora que, num verdadeiro sacerdócio com espírito cooperativo e numa constante doação, trabalharam e trabalham por um mundo melhor servindo as pessoas, o meio ambiente e a vida.
     Eu penso que é mais interessante que os países se aglutinem formando blocos de cooperação. Fico triste quando vejo o Mercosul sem a presença marcante do Chile, pois só acredito no sucesso deste bloco sul-americano se esse país estiver junto, aliado e daqui saírem produtos via oceano Pacífico para alimentar os países chamados de “Tigres Asiáticos”.
     O ser humano desde quando nasce até o final da sua vida terrena convive e precisa da cooperação, pois quando a gente nasce a gente precisa do amparo de uma parteira ou de um médico e precisa, logo em seguida, da cooperação e apoio  dos pais. Para andar a gente precisa que alguém segure a nossa mão. Quando sentamos no banco escolar precisamos da cooperação do educador. Para sermos bons cidadãos nós precisamos da cooperação da família, que é a célula-base da sociedade. Para constituirmos uma família precisamos de apoio do cônjuge e de outras pessoas. Quando nos encontramos enfermos precisamos da cooperação e até na hora derradeira de irmos para o campo santo precisamos que alguém, na cooperação, segure a alça do nosso ataúde. 
     Lembro-me agora de situações do cotidiano de lá donde eu morava quando eu era criança no Rincão das Burras, interior daqui de Bossoroca, onde a cooperação era exercida de um modo simples entre os vizinhos através dos mutirões, das parcerias, da ajuda mútua, onde um nas carneadas emprestava a panela grande de ferro, o outro fazia uma capina, o outro ajudava na cerca, o outro ainda  no trato para com o gado e até mesmo as donas de casa nas tachadas de melados e outros afazeres caseiros se auxiliavam onde sempre existia uma mão amiga presente. 
     Na natureza, se prestarmos atenção, vamos ver o quanto ela nos mostra belos e significativos exemplos do quão é válida a sinergia, cooperação, o trabalho grupal. Vejamos as formigas que trabalham unidas em perfeita simbiose, os gansos que voam juntos na formação em forquilha se revezando e cooperando uns para com os outros no ato de voejar, as abelhas nas colméias, os golfinhos arrebanhando sardinhas, os impalas e babuínos que estão sempre unidos contra os seus predadores, as garças boiadeiras que tiram parasitas dos animais de pêlos, as carpas em hábitos aquáticos que limpam os hipopótamos, até mesmo os pólipos e as algas que, unidas, são de suma importância formando a fotossíntese e a manutenção das cores dos corais além de milhares de outros lindos exemplos e espetáculos cooperativos que, em nossa reflexão, nos faz pensarmos: e nós os humanos, seres racionais, o que estamos fazendo para um mundo melhor pela cooperação?
     Tudo na vida fica mais interessante e feliz quando existe cooperação desde o simples gesto de alcançar um copo d’água para alguém até as complexas missões espaciais. 
     O talentoso atleta Michael Jordan descreveu: o talento vence jogos, mas só o trabalho em equipe ganha campeonatos. 
Das várias participações que tivemos no festival o Rio Grande Canta o Cooperativismo, numa das obras nossas, de minha autoria em parceria com o meu irmão de arte João Ribeiro, em que fomos premiados temos uma estrofe que neste fragmento expressa: Uma varinha somente / Não tem tanta expressão / Um feixe é mais consistente / Em toda sua dimensão, / Assim também são os homens / Quando eles se dão as mãos / Formando cooperativas / Tem-se a força da união! 
     Sobre o cooperativismo que é algo fundamental quando ele cumpre os seus verdadeiros princípios é algo fantástico e de grande valia nas comunidades. Bendita hora em que foi criada a Sociedade Eqüitativa dos Pioneiros de Rochdale, fundada em 1844, que foi uma cooperativa de consumo onde daí formou-se a base para o atual movimento cooperativo no mundo inteiro.  Rochdale é uma cidade situada no noroeste da Inglaterra. 
     Devemos muito também sobre cooperação e cooperativismo ao padre Teodor Amstad,  que foi um religioso suíço, que se estabeleceu no Rio Grande do Sul em 1885. Nasceu em 09 de novembro de 1851. Foi ordenado padre jesuíta na Inglaterra em 1883. Em 28 de dezembro de 1902, em Nova Petrópolis, fundou o modelo do cooperativismo que deu origem ao Sistema Sicredi hoje propagado pelo Brasil inteiro. De 1885 a 1908 atuou no Vale do Caí enfrentando inúmeras dificuldades que não abalaram sua fé e seu espírito cooperativo. Faleceu em 07 de novembro de 1938. Theodor Amstad é considerado o pai do cooperativismo de crédito por seu abnegado espírito de luta em prol da cooperação. 
     O cooperativismo de crédito de cujas raízes brotou o Sicredi  vêm de fato da primeira cooperativa de crédito fundada no Brasil no ano de 1902, em Nova Petrópolis, aqui no Rio Grande do Sul, como me expressei anteriormente e os fundamentos são interessantes porque o cooperado é no contexto: cliente, dono e fornecedor da cooperativa, que é uma associação de pessoas que fazem sua adesão se associando voluntariamente, utilizam-se dela para fazer suas movimentações financeiras. Deste modo o associado passa a ser dono da cooperativa igual aos demais associados onde todos podem e devem participar ativamente das decisões dessa instituição via assembléia. 
     Fui funcionário da Coopatrigo Unidade de Bossoroca durante 16 anos desde a função de auxiliar até a gerência, cargo que ocupei por aproximadamente 7 anos. Sou apaixonado pelo cooperativismo. Em 1987, a convite do meu amigo e incentivador Telmo Müller Ramborger, juntamente com minha atividade nessa Unidade da Coopatrigo, paralelamente, mas gratuitamente, trabalhei durante 10 meses no Posto da Copacredi instalado em Bossoroca. 
     Classificamos 8 obras no festival O Rio Grande Canta o Cooperativismo e obtivemos 4 premiações. A idéia da parceria, da cooperação está muito presente na minha vida até mesmo no aspecto das artes e da cultura, pois das 990 obras que eu tenho  mais de 400 são em parceria com 65 co-autores que me dão o prazer de ser parceiros na comunhão do verso na irmandade que nos une. 
     O Sicredi União dos 39 municípios da sua área de atuação está presente em 36, faltando apenas Pirapó, Garruchos e Rolador. São 43 agências, 638 colaboradores e 140.000 associados. 
     Os números neste país dão conta de que existem mais de 8.300.000 cooperados e que as cooperativas de crédito estão presentes em quase 2.500 municípios brasileiros perpetuando-se aquele pensamento onde é descrito que “Quem coopera, cresce!”. 
Facebook = João Carlos Oliveira Antunes
Bossoroca (55) 9999-42970 joaoantunes10@terra.com.br 
Batalha M'Bororé 
Batalha de Caiboaté
Salamanca do Jarau, o amor do Sacristão por Teiniaguá  

EM DESTAQUE

Tenda da Terra

Artesanato Indígena, Artigos Gaúchos, Quadors, Esculturas, Pintura em Tela, Camisetas, livros, Porcelanas, Cestarias e Lembranças da região.

Saiba mais

Sindilojas

São Pedro Butiá

Mais notícias

  • Aguarde, buscando...