Notícias

28/12/2018 14:09


Otávio Reichert - INTEGRANDO 03/01/2019

Placa Mercosul: No Brasil como um todo, seria em 28 Dez., mas a ‘implantação das placas padrão Mercosul’ foi adiada para julho de 2019. O estado do Rio de Janeiro foi o primeiro a implantá-la ainda em 2017. RS, RN, AM já iniciaram o sistema, além da Bahia, que iniciou em 27 Dez. 2018.
Além do Brasil, Uruguai e Argentina já aderiram. O modelo da placa faz lembrar as utilizadas na União Europeia. Os dados registram fornecedor, data, ano e modelo de fabricação, proprietário, cidade, etc. Além das placas de cor preta e fundo branco, as há nas cores azul, verde, amarela, prateada. Além dos símbolos, há quatro letras e três números, tamanho 40 X 13cm de altura.
Já rodando por aí, a mudança está sendo exigida ao emplacamento de carros novos, veículos com troca de propriedade, de domicílio e de alteração de categoria. Extensivo a quem o deseja, voluntariamente.
Além de não ser bonita, o cidadão perde mais um pouco de sua privacidade. Deslocando-se com seu veículo, pela placa, qualquer autoridade rodoviária tem acesso a dados cadastrais ainda mais detalhados. Mais dia, até os venezuelanos, para citar policiais num país sem estrutura e segurança, terão acesso a todas as suas informações.
O valor? Próximo de absurdos R$ 250,00 o cadastro e confecção desta placa. Somando para a polêmica, noticiou-se que 2% seriam revertidos para Cuba (socialismo), fake news desmentida pelo site G1.
Pergunta: Com a placa Mercosul se extingue a exploração da Carta Verde? Duvido!
Finalizo citando que, se depender do presidente Jair Bolsonaro este modelo será abolido no Brasil.

A pomba: Há inúmeras espécies, mas me atenho à pomba juriti, a da foto em especial.
Inúmeros pássaros tornaram-se urbanos, a citar os quero-queros. A juriti inventou de fazer seu ninho na floreira da sacada, com direito a luz fotovoltaica (solar). Que geralmente se mantém ligada até a madrugada. Minha amiga de chimarrão, pois que não se assusta com nossa presença.
Por liberdade pretendia nada alterar, mas vendo-a sofrer sob o sol escaldante, desde o chocar dos ovinhos e nascimento dos filhotes. Um deles morreu, e vendo-a ofegante a proteger seu outro filhote, talvez tardiamente colocamos galhos de cipreste para proteger seu ninho, que ela aceitou sem mesmo sair do ninho. Nesta foto 3 Jan. 2019), o filhote está crescido, e parece que o sol deu trégua aos missioneiros, escaldados a mais de 40ºC por vários dias. Ufa!     

O último pedido: Inusitado! No dia 1º de janeiro faleceu o tio Evaldo Reichert, 81 anos. Dentre as profissões que exerceu, foi caminhoneiro. Homem prático, alegre e honesto. Se antes duvidava da existência de Deus existe, agora não mais.

Seu último pedido? Prevenido, há mais de década deixou sua carneira pronta, inclusive com nome e data de nascimento. Para surpresa dos filhos e pessoas próximas, nos últimos meses repetiu: “Quero ser enterrado junto ao pai, e ao lado da mãe.” Justificou que não queria ficar sozinho.
Como meus avós foram enterrados na terra, a sete palmos, a carneira ficou sobre os restos mortais do vovô, este falecido há 44 anos. Evaldo era o caçula dos oito filhos, antecedido pelo tio Mathias, último desta geração, residindo em Bom Progresso. Meu genitor, Arlindo Reichert, partiu em agosto passado. Seus corpos descansam no cemitério de Padre Gonzales, distrito de Três Passos.

Humor: O brasileiro foi visitar a China e dormiu com uma chinesa diferente. Retornando, eis que o Malaquias dele ficou verde. Os médicos daqui diagnosticaram que precisavam amputá-lo.
Desesperado, retornou à China, pois os médicos de lá poderiam saber a cura. Disse o médico chinês:
- E os médicos brasileiros lhe disseram ter que amputar o Malaquias? Não se preocupe! Ele cairá sozinho... 

Site: Otávio Reichert 
FaceOtavio Geraldo Reichert   
Fone wats: (55) 99118-2080  otavioreichert@gmail.com

EM DESTAQUE

Mato Queimado

Fuscar Multimarcas Peças e Serviços

Pousada das Missões

Mais notícias

  • Aguarde, buscando...