Notícias

07/02/2019 16:32


Sepé Tiaraju: Lider Guarani o Espirito Gaúcho de Liberdade

Sepé Tiraju, líder guarani deu a vida para defender as terras do Povo Nativo Gaúcho, virou mito, foi canonizado pela vontade popular, é reconhecido oficialmente como "herói guarani missioneiro rio-grandense" pela Lei nº 12.366 do Estado do Rio Grande do Sul e Herói da Pátria Brasileira pela lei Federal 12.032/09, mas é ignorado pelo brasileiro e rio-grandense.
No sentido de conscientizar a sociedade gaúcha e brasileira sobre a existência de um único herói brasileiro no Rio Grande do Sul, entre 1º e 7 de fevereiro de 2018, em comemoração aos 262 anos da sua morte estarão ocorrendo uma série de eventos no território gaúcho.
Entre 1609 e 1768 ocorreu uma das principais histórias do mundo em nosso território latino-americano, reconhecida pela UNESCO, como uma “experiência única na Humanidade”. Visitantes do mundo todo vêm em busca dos fatos que encantaram filósofos dos anos 1600, 1700 e 1800, todavia, a própria sociedade que construiu o processo histórico ainda mantem-se de olhos fechados para os acontecimentos aqui ocorridos.
No Estado há 12.000 anos viviam grupos pré-pampeanos. Há cerca de 2.500 anos ocorre à entrada do Povo Guarani. Em 3 de maio de 1626 os primeiros padres jesuítas entram no Território gaúcho e fundam 18 reduções. Estas foram expulsas pelos Bandeirantes que naquele período mataram no todo mais de 600.000 guaranis em busca de escravos para suas lavouras paulistas. Expulsos ficaram as reduções no território entre o rio Uruguai e Paraná, hoje Argentina. Voltaram a partir de 1682 fundando os Sete Povos das Missões que com suas estâncias de gado ocupavam mais de 2/3 do atual Rio Grande do Sul.
Cresceram imensamente em termos de indústria e exportação remetendo sua produção para diversos locais da América e Europa. A indústria se fez plena, tanto quanto a cultura, Montesquieu Chamou de “primeiro estado industrial da América”. Com o desenvolvimento as cortes europeias decidem exterminar o projeto comunitário assinando o Tratado de Madri e com a não aceitação das trocas das terras entre espanhóis e portugueses ocorre a Guerra Guaranítica, momento do aparecimento do nosso herói Sepé Tiaraju.
José Tiaraju foi criado pelos Padres, pois seus pais foram mortos em um aparecimento de escarlatina. Da doença, restaram em seu corpo, cicatrizes várias, uma delas em sua testa, com formato de meia-lua. Como diz a lenda, esta lhe dava uma aura mística e brilhava nas noites, em cor escarlate. Aos poucos foi adquirindo o conhecimento e a cultura dos Jesuítas que se somaria ao espírito de liberdade guarani, o suficiente para transformá-lo em um dos maiores líderes da brilhante comunidade indígena missioneira.
Foi Corregedor do Cabildo de São Miguel, o mais tenaz resistente à entrega dos Sete Povos aos Portugueses, em troca da Colônia de Sacramento. Sepé Tiaraju transformou-se num autêntico guerreiro, chamando para si a responsabilidade da defesa do povo guarani, da cobiça e do egoísmo dos Espanhóis e Portugueses, pela posse da terra. Em uma carta, a ele atribuída, dirigida ao governo espanhol ele escreveu: “Nossa riqueza é a nossa liberdade. Esta terra tem dono e não é nem português nem espanhol, mas Guarani” , "Esta Terra Tem Dono “Co Yvy Oguereco Yara”.
Sepé morreu em 7 de fevereiro de 1756, às margens da sanga da Bica, afluente do rio Vacacaí, no município gaúcho de São Gabriel. Três dias depois ocorre a Batalha de Caiboaté e a morte de 1.500 dos principais guerreiros e Caciques Guaranis. Encerrava-se assim, uma das mais bem sucedidas experiências de vida comunitária cristã de todos os tempos citadas por Voltaire, principal Iluminista Francês, como “Triunfo da Humanidade”.
Por seu feito, Sepé Tiaraju, é considerado santo popular, virou personagem lendário do Rio Grande do Sul e dos Povos Nativos da América Latina, sua memória ficou registrada na literatura por Basílio da Gama no poema épico O Uruguai (1769) e por Érico Veríssimo no romance ‘O Tempo e o Vento’.
A programação durará uma semana inteira, de 1º a 07 de fevereiro.
Conforme, coordenador geral dos eventos, “pretende ser essa SEMANA, uma arrancada rumo a uma possível introdução da Causa de Beatificação e Canonização dos heróis riograndenses, guarani, missioneiros e brasileiros SEPÉ TIARAJU e seus 1500 companheiros MÁRTIRES PELA JUSTIÇA. São Sepé, além de empoderador dos pobres, pode também tornar-se padroeiro dos prefeitos populares”.
O pedido é que deem o máximo de importância, comparecendo todos a fim de prestigiar a SEMANA que nos ajudará na glorificação não só de Sepé e Companheiros, mas também dos 3 santos padres jesuítas missioneiros dos Sete Povos: Roque, Afonso e João. Diz que são tempos de papa jesuíta FRANCISCO, da estirpe missioneira dos SETE POVOS DAS MISSÕES DO RIO GRANDE DO SUL.
Herói Gaúcho e da Pátria Brasileira é homenageado em sua semana. 
Os Guaranis Carregaram Seus Mortos da Batalha de Caiboaté
7 de Fevereiro de 1756 morre Sepé Tiaraju 
Site: Reduções Jesuíticas, RESUMO - 1º E 2º Período

Sepé Tiaraju: Lider Guarani será homenageado 
Site:
 Roteiro por São Miguel das Missões
Notícia Completa sobre a revista 
Site: Batalha de Caiboaté 
Site: Monumento Sepé Tiarajú em São Luiz Gonzaga 
Site: Monumento ao Sepé Tiarajú em Santo Ângelo 
Site: Monumento para Sepé Tiarjú, Nicolau Ñanguirú e 1511 indios em São Gabriel 
Site: Oratório dos Guerreiros Missioneiros 

Site: Paço Municipal Sepé Tiaraú 

*Lenda da M'boi Guaçu - Cobra Grande de São Miguel 
*Site: Passo da Guerreira 

*Tatarandê Comunicação Entre Reduções,
*Os Guaranis Carregaram Seus Mortos da Batalha de Caiboaté
*Cotyguazú, Hospital, Azilo e Albergue para as Indias Guarani,
*Lenda da Cruz de Caravaca

Notícia: Monumento ao Sepé Tiaraju Seria Executado por Von Adamovich 

EM DESTAQUE

Tenda da Terra

Artesanato Indígena, Artigos Gaúchos, Quadors, Esculturas, Pintura em Tela, Camisetas, livros, Porcelanas, Cestarias e Lembranças da região.

Saiba mais

Clube Gaúcho CG

Famoso clube de Santo Ângelo onde ocorrem diversos tipos de eventos. 

Saiba mais

São Pedro Butiá

Mais notícias

  • Aguarde, buscando...