Notícias

25/09/2020 09:19


Vendas da indústria registram sexta quinzena consecutiva de variações positivas no RS

     A Receita Estadual divulgou hoje (24/9) a 25ª edição do Boletim sobre os impactos da Covid-19 nas movimentações econômicas dos contribuintes de ICMS do Rio Grande do Sul. Conforme a publicação, que é baseada nos dados dos documentos fiscais eletrônicos e outras informações fiscais, as vendas da indústria registraram variações positivas frente a períodos equivalentes de 2019 pela sexta quinzena consecutiva, corroborando o cenário de retomada das atividades econômicas. O Boletim com os principais indicadores econômico-fiscais do Estado está disponível no site da Secretaria da Fazenda e no Receita Dados (portal de transparência da Receita Estadual).
   A Indústria apresentou indicador de +4,0% entre 5 e 18 de setembro, dando sequência ao que já vinha ocorrendo nos últimos cinco períodos de análise. Com o resultado, a atividade industrial ainda apura queda no acumulado desde o início da pandemia (16 de março a 18 de setembro), na ordem de -4,5%. Dentre os 19 setores industriais analisados, a quantidade de “ganhadores” (cuja variação é positiva comparando os últimos 14 dias com o mesmo período do ano anterior) na última quinzena foi de 14, restando quatro setores com variações negativas e um com situação neutra. A média dos ganhos dos setores de variação positiva foi de +17,9% e a média dos “perdedores” foi de -7,2%.
   Um dos destaques foi o industrial de Metalurgia, com +24,6%, impactado pelas vendas de insumos de construção civil. O setor Coureiro-Calçadista também merece destaque: apesar de ainda estar no patamar de perdas, a variação da quinzena foi o melhor resultado desde o início da crise: -19,8%. Com isso, o acumulado do segmento passou de -47,2% para -45,1%. Já as empresas do setor Têxtil, um dos mais afetados no período acumulado, apresentaram variações positivas pela quarta quinzena consecutiva (+6,4%). O industrial de Plásticos, por sua vez, registrou indicador positivo na ordem de dois dígitos pela terceira vez seguida (+26,1%, +25,0%, +19,3%), confirmando a retomada do setor. O desempenho dos setores do agronegócio também foi, novamente, animador: já são quatro períodos em sequência com todos performando positivamente.
   A atividade Varejista registrou indicador interanual positivo de +2,0% na última quinzena (5 a 18 de setembro), em comparação com o mesmo período de 2019. Essa foi a quarta quinzena consecutiva sem apresentar variação negativa para a atividade. Os setores que mais contribuíram para o resultado foram de Supermercados (+11,9%), Material de Construção (+19,3%), Lojas de Departamento e Magazines (+28,8%), Eletroeletrônicos (+16,6%) e Móveis (+20,9%). Já os setores com queda foram os varejistas de Vestuário (-20,0%), Combustíveis (-12,7%) e Veículos (-2,7%). A maior queda acumulada no período de crise é do setor de Vestuário (-42,5%). No acumulado, a atividade varejista ainda apura queda de -7,8%.
   O Atacado, por fim, apresentou estabilidade no período, com -0,5% de variação. A queda acentuada protagonizada pelo atacado de Combustíveis (-26,7%) e a leve queda do setor de Alimentos (-4,9%) foram compensadas principalmente pela variação positiva dos setores de Material de Construção (+29,6%), Insumos Agropecuários (+5,6%), Veículos (+16,5%) e Medicamentos (+14,1%). Com isso, o segmento atacadista tem ganho acumulado de +2,8% desde o início da pandemia.
   Outro indicador importante de retomada é a emissão de Notas Eletrônicas (NF-e + NFC-e), que registrou variação positiva pela quinta quinzena consecutiva frente a períodos equivalentes de 2019, com +2,3% de aumento. O pior resultado do indicador ocorreu no início de abril, com -18,7% de variação. No acumulado (16 de março a 18 de setembro), a redução é de -3,4%, ou seja, cerca de R$ 66 milhões deixaram de ser movimentados, em operações registradas nas notas eletrônicas, a cada dia.

    Arrecadação parcial do ICMS de setembro é positiva
   
A visão parcial da arrecadação de ICMS em setembro, até o dia 15 do mês, corrobora o cenário de recuperação, indicando crescimento de +13,7% (R$ 270 milhões) na comparação com o mesmo período de 2019, em números atualizados pelo IPCA. Dessa forma, a arrecadação acumulada no ano agora é de R$ 24,56 bilhões - uma queda de R$ 1,20 bilhão (-4,7%) frente ao obtido em 2019.
   O resultado dá sequência ao desempenho positivo verificado em agosto, que registrou crescimento de 1,7% (R$ 50 milhões). Antes, a arrecadação de ICMS havia crescido 4,0% em janeiro e 6,7% em fevereiro, seguido por quedas de -0,3% em março, -14,8% em abril, -28,6% em maio, -13,9% em junho e -5,3% em julho.  

Confira o Relatório completo clicando aqui.
Para acessar o Receita Dados e conferir informações diárias e em tempo real sobre arrecadação, documentos eletrônicos, combustíveis, entre outros, clique aqui.

Baixar arquivo anexado

EM DESTAQUE

Hotel Raios De Sol Missioneiro São Pedro do Butiá RS

Clube Gaúcho CG

Famoso clube de Santo Ângelo onde ocorrem diversos tipos de eventos. 

Saiba mais

Mato Queimado

Mais notícias

  • Aguarde, buscando...