Notícias

05/02/2016 20:24


O Sorro fez, foi até que caiu numa armadilha! Eai?

Uma analise da personalidade do Sorro, impressionante a sabedoria do homem... do Gaúcho Missioneiro, fica as duas letras de Pedro Ortaça sobre este animal pampeano junto os vídeos das musicas. Mas perca um tempinho e analise, compare as grandes verdades eternas dos nossos sábios peões que o tempo não enverga. E os conselhos da Mãe velha natureza.
Pedro Ortaça - Décima do Sorro
_Na tarde boca da noite, inventei uma caçada  na costa de uma restinga deixei uma trampa armada para ver se ali caía um sorro nesta emboscada.
_O tal sorro que eu queria já me era um desafio bicho pequeno que havia ele passava no figo, leitão, borrego e galinha roubava do pobrerio.
_No outro dia bem cedo, primeiro cantar do galo apiei da minha cama e amuntei no meu cavalo fui ver se tinha caído na trampa o sorro que falo.
_Tinha caído sereno, tava molhado o capim apanhar aquele sorro era uma honra pra mim, pra quem rouba da pobreza a gente tem que dar fim.
_Lhe chamam de sorro manso que de valde não se arrisca, mas de longe eu vi o bicho meio engasgado na isca quando se sentiu das pata chegava soltar faísca.
_Mas o sorro é bicho esperto, raça de bicho ladino quebrou as garras da trampa, decerto o arame era fino embora de pata renga fugiu do triste destino.
_Mas eu como fui soldado na vali da disciplina fiz um cargo aproximado, fui lhe esperar numa esquina já ia saindo o sorro do meio de uma faxina.
_Eu larguei o meu cachorro, um pitoquinho colera o sorro já ia longe passando numa porteira pra se pegar este bicho só tiro de boleadeira.
_Já meu pitoco chegava quase na cola do sorro quando o bicho perseguido deu um grito de socorro livrai-me senhor dos matos dos dentes deste cachorro.
_Fez volta e fez contra-volta, veio e entrou num buraco de tanto correr o bicho eu já me sentia fraco quando chegou meu pitoco já fui tirando o casaco.
_Metendo a mão pela toca tirei ele pela oreia quantos crimes tu tens feito entre galinhas e oveia não foi por nada que Cristo não te botou sobrancelha.
_Nem assim o sorro véio nas garras de minha mão entregou a rapadura, gritou e pediu perdão me apelou pro sentimento e eu tive bom coração.
_Dei-lhe uma sova de laço com a tala de meu reio dizendo é pra que aprenda a não roubar o alheio comer criação dos pobre é um pecado dos mais feio.
_Larguei o sorro riscado mesmo que jaguatirica ele ouviu o meu conselho que pros demais aqui fica todo ladrão de respeito só rouba de gente rica.
Pedro Ortaça, A Volta do Sorro Manso
_Arreganho a oito baixo que nem risada de china faço roncar os bordões enquanto a prima se empina voltando a historia do sorro que hoje no mais se termina.
_É que o sorro desta historia não pegou ensinamento curado da minha surra lá se esqueceu dos tormentos voltando a roubar o que é alheio para manter o sustento.
_Armei a trempe de novo, de novo peguei o bicho lhe dei um risco nas fuças com pente de carrapicho e um chá de casca-de-vaca pra lhe tirar os caprichos.
_Lhe perguntei dos ensinos e o sorro olhando para mim me repetiu meus conselhos um a um, tim-tim a tim-tim e me pedindo licença sentou-se e falou assim.
_Bicho rouba por instinto que é coisa que não se ataca, mas há muito sorro manso de paletó e gravata
Que com pele de cordeiro vive de roubo e mamata.
_E há um velho ditado que corre nesse rincão cadeia é feita pra pobre que rouba por precisão e barão que rouba muito, quem rouba pouco é ladrão.
_E como é que um pobre sorro que não tem dono, nem vez que nunca foi numa escola, só conta de uma a três pode viver sem salário, sem paga no fim do mês.
_O mundo é feito pra todos, mas isso não corre certo no repartir das boladas leva mais quem tá mais perto o  grande engole o pequeno e a sobremesa é do esperto.
_Entre os bichos e entre os homens tem os ricos e tem os pobres, mas o pobre que é esperto logo uma ciência descobre que infeliz é aquele que deixa que a espinha dobre.
_Não nasci pra dobradiça, nem sirvo pra teteia por isso que me rebusco conforme a força da ideia me viro que nem bolacha numa gengiva de véia.
_Procuro tirar dos ricos conforme foi seu ensino pra alimentar minha sorra, dar boia pros meus sorrinhos roubar pra matar a fome sempre foi o meu destino.
_Nascer ladrão foi a sina que Deus deixou para o sorro embora pareça um vício não é mais do que um socorro de quem é cria de lobo que se cruzou com cachorro.
_E aqui termino essa fala que é minha filosofia faça de mim o que queira, mas não esqueça que um dia Deus entorta a mão daquele que ao pobre fraco judia.
_Enquanto o sorro ladino me enchia de explicação foi me doendo por dentro, me embalando o coração e concluí finalmente que o bicho tinha razão.
_Tirei-lhe corda e maneia, dei-lhe um tapa no focinho e lhe disse vai-te embora dar bóia pros teus sorrinhos não há coisa mais triste que a fome rondando o ninho.
_Deu no pé o sorro veio, mas me deixou uma lição nunca julgar quem é pobre sem lhe escutar as razões lembrando que Jesus Cristo morreu entre dois ladrões.

 

EM DESTAQUE

Churrascaria do Chico

Fazendo vontades com sabor, qualidade e economia.

Saiba mais

Pousada das Missões

Fazenda do Presente

Balneário, Turismo Rural, Camping, Lazer e Recreação

Saiba mais

Mais notícias

  • Aguarde, buscando...